Prefeitura de Juquitiba | SÍMBOLOS MUNICIPAIS
19967
page-template-default,page,page-id-19967,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-16.9,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.5,vc_responsive

SÍMBOLOS MUNICIPAIS

SÍMBOLOS MUNICIPAIS


São símbolos do Município de Juquitiba: o Brasão de Armas e a Bandeira Municipal.

 

BRASÃO DE ARMAS

 

Conforme o Artigo 3º da Lei nº293/88, o Brasão de Armas de Juquitiba tem a seguinte interpretação: o escudo ibérico era usado em Portugal, à época do descobrimento do Brasil, e sua adoção evoca os primeiros colonizadores e desbravadores da nossa Pátria.

 

O metal ouro do campo do escudo é indicativo de riqueza, esplendor, generosidade, nobreza, glória, poder, força, fé, prosperidade, soberania e mando, referindo-se ao impulso dos munícipes, investidos de irrestrita fé no Criador, no sentido de proporcionar ao seu torrão natal a prosperidade e a glória, pela força do trabalho.

 

O mantel salienta o terreno acidentado no qual se situa Juquitiba, nos contrafortes da Serra do Mar, e a cor goles (vermelho), é símbolo de audácia, coragem, valor, galhardia, intrepidez, nobreza conspícua, generosidade e honra, atributos dos primeiros colonizadores da região, legados a seus pósteros e evocativo dos percalços enfrentados com audácia, intrepidez, para a formação do núcleo que se transformou no nosso município.

 

Os corações são emblema de coragem, honra, sinceridade, caridade, generosidade e amor, representando a atitude de Manoel Jesuíno Godinho e sua mulher, D. Francisca Maria da Penha, ao erigirem, em terras de sua propriedade, uma capela sob a invocação de Nossa Senhora das Dores, doando, a seguir, em 1º de novembro de 1887, uma área de dois alqueires ao redor da capela para a abertura de ruas e edificações. A cruz entre os corações está simbolizando, em linguagem heráldica, a capela, ponto de partida para a fixação do homem ao local e da formação do povoado, então denominado Capela Nova da Bella Vista do Juquiá.

 

As faixetas ondadas assinalam a riqueza hidrográfica da região, por constituírem representação heráldica dos cursos de água, dos quais se destacam os rios Juquiá e São Lourenço. Investem-se, ademais, de característica parlante, pois aludem ao brasílico “Y-CU-TIBA”, isto é, “muita água”, ou ainda “muitos rios”, que deu lugar ao topônimo “JUQUITIBA”.

 

A bordadura é emblema de favor e proteção e as flores-de-lis são atributos de Nossa Senhora, alusão, portanto, à santíssima padroeira do município, Nossa Senhora das Dores, e à proteção por Ela dispensada aos fervorosos devotos.

 

A cor blau (azul) tem o significado de justiça, formosura, doçura, nobreza, firmeza incorruptível, glória, virtude, constância, dignidade, zelo e lealdade; e o metal prata, de felicidade, pureza, temperança, verdade, franqueza, formosura, integridade, amizade e compreensão de que desfrutam, referindo-se também aos atrativos e belezas naturais da região.

 

A coroa mural é o símbolo da emancipação política, e, de prata, com oito torres, das quais unicamente cinco estão aparentes, reservada às cidades. As portas abertas de sable (preto) proclamam o caráter hospitaleiro do povo de Juquitiba.

 

As palmas designam a paz obtida pela vitória, justiça e martírio. As armas de Juquitiba lembram os palmiteiros, outrora abundantes e ainda encontrados em razoável quantidade no município, e, por extensão, a vegetação nativa.

 

No listel, o topônimo “JUQUITIBA” identifica o município.

 


 

BANDEIRA MUNICIPAL

 

Conforme o artigo 6º da Lei nº 293/88, a Bandeira do Município de Juquitiba tem a seguinte interpretação:

 

Artigo 6º) – O simbolismo das cores é o mesmo referido no artigo 3º, sendo de se notar que o amarelo e o branco das bandeiras corresponde aos metais de ouro e prata dos brasões de armas. Os triângulos superpostos formam pontas de lanças, a representar o impulso irrefreável com que Juquitiba de lança a um futuro de desenvolvimento e progresso.

 

De acordo com a Lei nº 305, de 7 de outubro de 1988, que dispõe sobre a alteração da Lei nº 293/88, ficam alterados os artigos 4º e 5º, que passam a ter a seguinte redação:

 

Artigo 4º) – A Bandeira do Município de Juquitiba, de autoria do heraldista e vexilólogo, Dr. Lauro Ribeiro Escobar, do Conselho Estadual e Honrarias e Mérito, assim se descreve: retangular, de azul, com uma cruz firmada de vermelho, coticada de branco, tendo, brocante sobre o encontro de seus ramos, um círculo de branco, carregado do Brasão de Armas a que se refere o artigo 2º.

 

Artigo 5º) – Tem a Bandeira 14M (quatorze módulos) de altura por 20M (vinte módulos) de comprimento, os ramos da cruz tem 3M (três módulos) de largura e as cóticas, 0,5 (meio módulo), estando a linha mediana do ramo vertical situada a 7M (sete módulos) de distância da talha; o círculo tem 8M (oito módulos) de diâmetro e o Brasão de Armas, 7M (sete módulos) de altura.